Como definir o preço das peças de moda íntima para revender?

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×

Um dos aspectos mais difíceis do trabalho por conta própria é estipular preço, tanto no seu produto quanto nos seus serviços. Geralmente, existe uma insegurança acerca do valor a ser cobrado: é um preço justo ou está acima da média do mercado? Ainda mais quando surgem clientes que reclamam do valor, pedem descontos ou insistem em esticar o prazo de pagamento. Bom, não se sinta culpada por cobrar o que o seu trabalho vale, mas saiba fazer o cálculo corretamente para não parecer desonesta aos olhos da clientela a cada dia mais exigente.

Neste post, você vai ficar por dentro do passo a passo para definir o preço das peças de moda íntima da sua revenda. Confira:

De olho nos gastos  

Quando se trabalha com revenda de produtos, o primeiro aspecto que se deve considerar é por quanto você compra cada peça, num comparativo com produtos similares da concorrência. Esse é um investimento no seu negócio e, portanto, um gasto inicial que você precisa embutir no preço das peças de moda íntima.

Carga de trabalho

Em seguida, você deve calcular quanto tempo vai gastar na atividade. Vai apresentar seus produtos no intervalo de outras tarefas ou vai dedicar um período do dia só para isso? Quantas horas vai dedicar à revenda? Será uma dedicação diária ou aos fins de semana? Você precisa se deslocar para vender? Tudo isso tem que ser levado em conta para valorizar o seu trabalho e definir o preço das peças de moda íntima.

Defina o lucro a ser atingido

Sim, estabeleça uma meta para o seu lucro ao definir o preço das peças de moda íntima. É ele que vai fazer valer a pena todo o seu esforço. Para calcular a margem de lucro, você deve considerar todas as condições anteriores e pesquisar a média de preços de mercado:  os valores dos produtos devem ser mantidos dentro dessa média. Um valor muito baixo depõe contra a sua mercadoria e levanta suspeitas sobre a seriedade do seu trabalho.

Sabe aquela máxima “é bom demais para ser verdade”? Tem muito consumidor que leva isso a sério… Já o preço muito elevado se torna proibitivo para muitas clientes e você acaba vendendo menos.

Pesquise o poder aquisitivo do seu público-alvo

E por falar em clientes, sonde o poder aquisitivo e quanto eles estão dispostos a gastar, especialmente em compras não essenciais. Seja discreta e use a intuição. Na hora de negociar, os gestos contam muito. Quando o comprador cruza os braços e não te encara, por exemplo, isso mostra que ele não está gostando nada do que está sendo oferecido. Se ele estende a conversa e oferece alternativas, seja receptivo; ele quer comprar! Então, favoreça o lado dele. Se você tem condições de dar algum desconto ou prazo maior, então faça isso. A atitude positiva fideliza o comprador.

Desconte os impostos ao definir o preço das peças de moda íntima

No meio de tudo isso, não se esqueça dos impostos. Se você trabalha por conta própria, o recolhimento de INSS e pagamento do Imposto de Renda fica por sua conta mesmo. Não deixe de observar esse ponto ao definir o preço das peças de moda íntima. Pagar imposto é um pouco ingrato mesmo, mas é melhor andar direitinho do que ter a chateação de se explicar depois. Verifique também na sua cidade e estado se existem outros impostos reativos à sua atividade.

Para ter nota fiscal e poder dar mais garantias aos seus clientes, faça inscrição no cadastro de Microempreendedor Individual junto ao Sebrae ou nas profissões listadas pela prefeitura que oferecem a possibilidade da nota fiscal eletrônica. Essas modalidades são as mais vantajosas para quem trabalha sozinho e quer ter garantias de que tudo vai dar certo. E claro, é o melhor caminho também para quem quer vender pela internet!

E então, gostou das nossas dicas para definir o preço das peças de moda íntima? Conheça mais alguma tática para uma precificação infalível? Compartilhe com a gente nos comentários!

preço das peças de moda íntima

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×